Páginas

quinta-feira, 16 de março de 2017

Vitamina B1



A vitamina B1, também chamada de tiamina, foi a primeira vitamina do complexo B a ser descoberta. Em virtude dos benefícios da vitamina B1 para o metabolismo, é importante para a saúde obter diariamente os níveis adequados dessa vitamina, que por ser hidrossolúvel não pode ser armazenada pelo corpo.

Além disso, bons níveis de vitamina B1 zelam pela saúde e pela eficiência do sistema nervoso, contribuindo ainda indiretamente para a perda de peso e para o ganho de massa muscular.

1. Energia

Um dos principais benefícios da vitamina B1 é o seu envolvimento na ativação do sistema de enzimas que auxiliam na oxidação do açúcar, a principal fonte de energia para o corpo humano. Através da ativação dessas enzimas, o corpo obtém maiores quantidades de energia, de modo que bons níveis de vitamina B1 fornecem uma sensação de bem-estar e vitalidade.

Para esse mesmo efeito, trabalha a vitamina B1 através de seu papel na síntese dos glóbulos vermelhos, garantindo o fornecimento adequado de oxigênio para as células, outra função necessária para a obtenção de energia.

2. Saúde Nervosa

As funções da vitamina B1 beneficiam também a saúde nervosa. Isso é feito sobretudo através do auxílio da vitamina B1 à mielinização dos neurônios, que não funcionam corretamente sem o revestimento adequado de mielina. Na verdade, uma falha nesse ponto pode até mesmo causar danos neurais, com a morte de células nervosas.

O efeito, porém, não é apenas de proteção. Bons níveis de vitamina B1 estimulam uma boa memória, além de capacidades ampliadas de concentração e raciocínio. Acredita-se, ainda, que a vitamina B1 seja capaz de prevenir o Mal de Alzheimer, mas esta é uma propriedade que ainda está em estudo.

3. Saúde do Coração

Entre os benefícios da vitamina B1 está o estímulo e produção do neurotransmissor acetilcolina, que é responsável pela transmissão de mensagens dos neurônios aos músculos, incluso o coração. Nesse sentido, a vitamina B1 protege a regularidade das funções do coração, ao proteger a comunicação entre esse músculo e o sistema nervoso.


quarta-feira, 8 de março de 2017

Castor Oil


O Óleo de Rícino é bem conhecido pelos seus benefícios nos extensos cuidados de saúde que abaixo descriminamos, mas igualmente noutras áreas menos conhecidas. Tem propriedades laxantes e lubrificantes e, tomado por via oral, alivia os inconvenientes da obstipação.  Ayurveda, a milenar medicina da Índia, usa-o como medicamento para melhorar a memória.
Outras propriedades do óleo de rícino:
1. O óleo de rícino é fantástico para o cabelo: promove o seu crescimento e regeneração e evita a sua queda. As propriedades antibacterianas e antifúngicas  do ácido ricinoleico protegem o couro cabeludo, prevenindo a queda do cabelo. Também os ácidos gordos omega-9 nele presentes contribuem para a manutenção do teor de gordura, evitando que a pele seque.
A aplicação regular deste óleo no couro cabeludo, seguido de suave massagem, dará origem a 
cabelos novos em poucos meses. Para além de aumentar o volume, igualmente aumenta a 
espessura de todo o cabelo. 
Para um tratamento profundamente regenerador do cabelo, massaje o óleo no couro cabeludo e deixe atuar durante a noite. Neste caso, porém, como as nódoas de óleo de rícino são 
praticamente impossíveis de remover e irão manchar a roupa de cama, aconselha-se enrolar o 
cabelo numa toalha velha ou colocar uma touca de banho. 
Para um tratamento mais suave, pode aplicar  durante o dia o óleo no couro cabeludo e/ou 
cabelo e deixar atuar por algum tempo, lavando a seguir.
Em todo o caso, o óleo de rícino pode ser misturado com outro óleo menos espesso para facilitar tanto a aplicação como a sua lavagem.
2. Este óleo é excelente também para promover o crescimento das pestanas e sobrancelhas, 
tornando-as mais fortes e espessas. Aplique massajando cuidadosamente a base das pestanas e a sobrancelhas antes de dormir.
3. Para além de atuar sobre o couro cabeludo, cabelos e pestanas o óleo de rícino é também 
excelente para a pele do rosto
4. O Óleo de Rícino cura o acne. O ácido ricinoleico contido no óleo de rícino inibe a formação e a proliferação de bactérias e outros agentes agressores da pele, e uma vez que é capaz de penetrar mais profundamente nos tecidos da pele, tem uma excelente ação sobre o acne.
Forma de Tratamento: à noite antes de deitar, coloque uma toalha turca em água quente, 
esprema bem e cubra com ela o rosto. O calor age sobre os poros abrindo-os suavemente. Em 
seguida, massaje gentilmente a pele com o óleo de Rícino deixando-o penetrar e agir durante a 
noite. Repita esta operação diariamente durante 1 ou 2 semanas e verá os resultados. Para 
resultados mais rápidos ou em casos mais agudos pode fazer este tratamento 2 vezes por dia, de manhã e à noite.
5. O óleo de rícino usado na pele mantém a suavidade, a juventude e previne as rugas.
A capacidade de penetração do óleo de rícino, mais profunda do que qualquer outro óleo, faz 
dele um excelente produto de manutenção da juventude da pele. Funciona melhor do que a 
grande maioria de outros produtos anti-envelhecimento. Uma das melhores formas para o seu 
uso é na pele sensível à volta dos olhos. Aplique uma pequena quantidade, faça uma suave 
massajem e deixe atuar durante a noite. De manhã limpe a pele delicadamente.
6. O óleo de rícino pode também ser aplicado sobre a pele de todo o rosto. Contudo, porque a sua consistência é mais espessa e pegajosa, nem todos o apreciam. Também quando a temperatura do ar é mais elevada ou húmida, como no verão, a sua aplicação pode ser menos agradável. No outono/inverno é mais fácil a sua aplicação.  No entanto, aplicado diariamente, é um combate seguro às rugas e a pele mantém um aspeto macio, fresco e juvenil. Quando usado por períodos mais prolongados, consegue atuar sobre as manchas, mesmo que persistentes.
7. O óleo de rícino atua também sobre cicatrizes, atenuando as imperfeições tanto nos tecidos 
internos como externos. As cicatrizes resultantes de intervenções cirúrgicas melhoram o seu 
aspeto significativamente. 

Aplicação sobre cicatrizes mais profundas: embeba um pedaço de tecido macio ou algodão no óleo de rícino, aplique-o sobre a cicatriz e deixe atuar por 1/2 horas diariamente. 
Em cicatrizes mais superficiais pode aplicar o óleo diretamente massajando.
8. O óleo de rícino atua sobre a Herpes-zoster (Zona) atenuando-a e acalmando a dor. Esta é uma infeção do tipo viral e o óleo de rícino tem a capacidade de estimular os linfócitos que são os principais responsáveis pela imunidade celular no organismo. 
9. Este óleo é ainda excelente para amaciar e remover calosidades. Para este efeito, aplique o óleo nos pés e calce peúgas para dormir deixando atuar durante a noite. De passagem, vale a pena referir que este óleo aplicado nos pés durante a noite, remove dores nos pés e amacia os 
calcanhares.
10. O óleo de rícino trata o “pé de atleta” e outras infeções parasitárias nos pés. Aplique um pano embebido no óleo, ou se for uma área pequena aplique o óleo e coloque um penso protetor.
11. As tão indesejadas estrias na pele beneficiam também significativamente da aplicação deste 
óleo, que as fará desvanecer. 
12. Finalmente, o óleo de rícino ajuda a remover verrugas e sinais da pele. Massaje um pouco de óleo sobre a zona todas as noites. Em poucas semanas reparará que estarão menores e, 
aplicado durante 2/3 meses, remove-os permanentemente sem deixar marca, o que não é o 
caso quando são removidos cirurgicamente.