Páginas

sábado, 22 de julho de 2017

Green Tea




Utilizado pelos chineses e indianos há pelo menos 4 mil anos, o chá verde sempre esteve associado a propriedades medicinais, tendo sido utilizado para tratar desde males digestivos até problemas de pele.

Mas se antes era somente de uso popular, nos últimos anos inúmeros estudos têm comprovado um a um os principais benefícios do chá verde, sobretudo na manutenção da saúde e da boa forma.

Enumeramos abaixo oito destes benefícios do chá verde que têm comprovação científica, isto é, que já foram alvos de estudo e que de fato podem contribuir no tratamento ou prevenção.


Principais nutrientes do chá verde:

  • Vitaminas: K, ácido fólico, riboflavina e ácido ascórbico;
  • Minerais: potássio, magnésio, cobre, flúor e manganês;
  • Antioxidantes: polifenóis (catequinas);
  • Cafeína.


Benefícios do Chá Verde


1. Contém compostos altamente benéficos à saúde

Para estarmos vivos precisamos converter o que comemos em energia para nossas células. Ainda que essencial à vida, esse processo gera compostos tóxicos que causam danos e envelhecem o organismo.

Além da alimentação, tabagismo, poluição e exposição excessiva ao sol também contribuem para a formação destas substâncias, conhecidas como radicais livres.

O chá verde contém compostos que ajudam a neutralizar a ação nociva destas toxinas sobre a estrutura celular, prevenindo assim não somente o envelhecimento precoce como também uma série de doenças.

Em um estudo publicado no European Journal of Clinical Nutrition, pesquisadores do Instituto Nazionale dela Nutrizione de Roma, na Itália, demonstraram que o chá verde possui uma potente ação antioxidante (seis vezes maior que a do chá preto), exercida sobretudo pela presença de polifenóis como as catequinas.

Epigalocatequina galato (EGCG), epicatequina (EC), epigalocatequina (EGC) e epicatequina 3 galato (ECG) são os principais antioxidantes responsáveis pelas propriedades medicinais do chá verde.

O green tea contém 8-10 vezes mais antioxidantes que as frutas e verduras, o que significa que uma xícara da bebida contém a mesma quantidade de catequinas encontrada em oito maçãs.


2. Estimula a queima de gordura


Um dos benefícios do chá verde mais estudado é exatamente o seu efeito sobre o metabolismo energético. Com base em inúmeros estudos, é possível afirmar que o chá verde queima gordura e acelera o metabolismo.

Entenda como o chá verde funciona para queimar gordura:


  • As catequinas, especialmente a EGCG, estimulam a oxidação de gordura através da inibição da catecol-O-metiltransferase (COMT), uma enzima que degrada a norepinefrina (noradrenalina), um tipo de neurotransmissor;
  • Quando a COMT é inibida, há um aumento da concentração de norepinefrina circulante. Como este hormônio é utilizado pelo sistema nervoso para estimular a lipólise, isto é, a quebra das células de gordura, quanto mais noradrenalina, maior será a mobilização dos adipócitos;
  • Mas a ação do chá verde sobre os estoques de gordura não para por aí: há evidências de que a cafeína e a EGCG atuam em conjunto, uma vez que a cafeína parece potencializar o efeito termogênico causado pela EGCG;
  • Isso ocorre porque ambas estimulam o sistema nervoso central, tornando ainda mais forte o sinal para que as células de gordura sejam degradadas. A cafeína inibe a fosfodiesterase, uma enzima que tem a capacidade de em pouco tempo degradar o monofosfato de adenosina cíclica;
  • O resultado é ainda mais gordura sendo liberada na circulação, e uma maior disponibilidade de energia para ser utilizada para manter o metabolismo;
  • Muitas pesquisas já comprovaram a atuação termogênica da cafeína, que funciona como uma antagonista dos receptores de adenosina no cérebro. Ao inibir estes receptores, a substância bloqueia a ação da adenosina, que é justamente controlar os batimentos cardíacos, a temperatura corporal e a pressão sanguínea.

Como resultado, a cafeína estimula a vasoconstrição, elevando a pressão sanguínea, acelerando o ritmo cardíaco e por fim aumentando a temperatura do corpo.

A cafeína também favorece a produção de catecolaminas plasmáticas, o que por sua vez aumenta a disponibilidade de ácidos graxos como fonte de energia para os músculos.


3. Auxilia no controle do peso


Uma metanálise de 11 estudos científicos, publicada no International Journal of Obesity, concluiu que as catequinas – sobretudo as EGCGs – e a cafeína encontradas no chá verde têm um pequeno efeito na perda e manutenção do peso.

Ainda de acordo com a revisão, as pesquisas sobre o efeito emagrecedor do chá verde demonstraram uma perda média de 1,31 kg com o uso diário do composto.

Em um estudo com 240 participantes, publicado no periódico especializado Obesity, pesquisadores japoneses analisaram os efeitos do chá verde sobre a saúde. Após 12 semanas, o grupo que recebeu extrato de chá verde apresentou uma redução significativa no peso, percentual de gordura corporal e circunferência abdominal.

Outra pesquisa publicada em 2010 no Journal of the American College of Nutrition encontrou resultados semelhantes. Nela, 35 participantes obesos foram divididos em três grupos: controle (recebeu apenas 4 xícaras de água ao dia); chá verde (4 xícaras/ dia) e extrato de chá verde (2 cápsulas e 4 xícaras de água/dia).

Ambos grupos com chá verde receberam doses semelhantes de EGCGs, e após oito semanas de estudo, os pesquisadores observaram que aqueles que receberam o chá verde perderam mais peso e apresentaram uma redução maior do IMC em comparação ao grupo controle.

Esses benefícios do chá verde podem ser explicados pela ação termogênica da Camellia sinensis, que aumenta a utilização das reservas de gordura e inibe a absorção dos ácidos graxos. Tanto as catequinas como a cafeína afetam o sistema nervoso central, promovendo uma elevação do gasto energético e da oxidação lipídica.


4. Previne a diabetes


Nada menos que 12 milhões de brasileiros – dos quais um quarto não sabe sequer que tem a doença – sofrem com diabetes, condição crônica caracterizada por um aumento da glicose no sangue.

A diabetes pode ser causada tanto pela resistência à insulina quanto pela inabilidade do corpo de produzir o hormônio responsável pela entrada da glicose nas células. Aproximadamente 90% dos casos de diabetes são do tipo 2, e podem estar associados ao estilo de vida (má alimentação, sedentarismo, etc.).

Diversos trabalhos científicos têm demonstrado que o chá verde pode prevenir a diabetes através de um aumento da sensibilidade das células à insulina, e pela redução das taxas de açúcar na circulação.

Um deles, desenvolvido no Japão a partir da análise dos hábitos de vida de 25 comunidades (em um total de 17.413 pessoas), encontrou uma relação inversa entre o consumo de chá verde e o risco de diabetes. Pesquisadores puderam concluir que aqueles que consumiam mais chá verde apresentavam um risco 42% menor de desenvolver diabetes.

Publicada em 2009 no Journal of the American Medical Association, uma revisão de sete diferentes estudos envolvendo um total de 286.701 pessoas também relatou uma associação entre a ingestão de chá e o risco de diabetes.

Aquelas que tinham o hábito de tomar mais de 3 ou 4 xícaras de chá ao dia apresentavam um risco de desenvolver o diabetes 20% menor do que as pessoas que não consumiam a bebida.

Cientistas ainda não conhecem com exatidão todo o mecanismo de ação do chá verde sobre o complexo processo de regulação da glicemia sanguínea. O que diversos estudos têm demonstrado até o momento é que os polifenóis do chá verde podem:


  • atuar na inibição da digestão dos carboidratos;
  • dificultar a absorção da glicose;
  • estimular as células pancreáticas a produzirem insulina;
  • aumentar a atividade da insulina no fígado;
  • reduzir a produção de glicose no fígado.

De maneira resumida: além de ajudar a regular a glicose no corpo, o chá verde também atua na prevenção e controle do diabetes do tipo 2.


5. Reduz o risco de doenças cardiovasculares


Diversas pesquisas têm ajudado a comprovar que o chá verde é um grande aliado do coração, das veias e artérias. Uma delas, publicada no Journal of the American Medical Association, concluiu que é possível associar o consumo do chá verde a uma redução nas taxas de mortalidade por diversas causas, inclusive doença cardiovascular.

Os fitoquímicos do chá verde beneficiam a saúde cardíaca através da:


  • redução dos danos que os radicais livres causam às paredes dos vasos sanguíneos;
  • melhora dos níveis de colesterol total;
  • diminuição das inflamações.

Estudos tem demonstrado que o chá verde reduz o colesterol “ruim” (LDL) ao mesmo tempo em que eleva o tipo de colesterol que protege as artérias (HDL). Um estudo populacional conduzido no Japão demonstrou que homens que tomavam chá verde apresentavam uma taxa menor de colesterol total que seus conterrâneos que não tinham o hábito de consumir chá verde regularmente.

A explicação para esse efeito do chá verde sobre o colesterol pode ser encontrada em parte em um estudo animal, onde observou-se que os polifenóis da bebida podem ajudar a bloquear a absorção do colesterol no intestino, facilitando a eliminação da gordura pelas fezes.

Outras pesquisas demonstrando os benefícios do chá verde para a saúde cardiovascular:

  • Publicada em 2008 no Journal of Nutrition, uma pesquisa japonesa concluiu, a partir da análise do estudo epidemiológico já citado anteriormente, que um maior consumo de chá verde está diretamente associado a um efeito positivo na prevenção de doenças cardiovasculares;
  • De acordo como uma pesquisa publicada originalmente no Experimental and Toxicologic Pathology, o chá verde pode inibir a peroxidação do LDL, graças ao seu alto teor de polifenóis. Como resultado, o composto evita que as partículas oxidadas danifiquem a parede interna das artérias e causem inflamação (que por sua vez reduz o diâmetro do vaso sanguíneo e aumenta o risco de enfarte);
  • Segundo o Dr. Swen Wolfram, PhD, pesquisador suíço autor de diversos trabalhos científicos envolvendo o chá verde, a epigalocatequina galato ativa a enzima óxido nítrico sintetase dentro dos vasos sanguíneos, causando o relaxamento dos mesmos e aumentando assim o fluxo sanguíneo. Ainda segundo o pesquisador, o chá verde beneficia o coração através de uma série de mecanismos, sendo os principais suas atividades anti-inflamatórias, antitrombogênicas, antioxidativas e redutoras do colesterol LDL;
  • Uma revisão da literatura médica indica que pessoas que bebem chá verde têm um risco até 31% menor de morrer devido a uma complicação cardíaca que aqueles que não consomem o chá.

6. Melhora a função cerebral

Esses é um dos mais importantes benefícios do chá verde, e deve-se sobretudo à presença da cafeína, que é um conhecido agente neuroestimulante.

Embora não contenha tanta cafeína quanto o café, o chá verde fornece o suficiente para bloquear os receptores da adenosina, elevando assim as concentrações de norepinefrina e dopamina no cérebro.

Essa propriedade da cafeína já foi amplamente estudada e leva a uma comprovada melhora da função cognitiva, com aumento da concentração, melhora do humor, maior clareza mental, menor percepção de cansaço (que se traduz em mais energia para as atividades) e melhora da memória.

Um estudo suíço publicado em 2014 na revista especializada Psychopharmacology sugere que de fato o chá verde melhora a conexão entre os lobos frontal e parietal durante o processamento da memória. Além disso, de acordo com a pesquisa, o consumo regular de chá verde pode reduzir o risco de complicações cognitivas, como a demência.

Mas os benefícios do chá verde para o cérebro não param por aí: as folhas da Camellia sinensis contêm L-teanina, um aminoácido que eleva a atividade do neurotransmissor GABA (ácido gama-aminobutírico). Níveis elevados de GABA causam relaxamento e reduzem a ansiedade.

A L-teanina também eleva a síntese de dopamina, outro neurotransmissor associado ao bem estar e ao bom funcionamento cerebral.


7. Previne o câncer


Ao lado do efeito termogênico, este é uma dos benefícios do chá verde mais estudados pela ciência. Isso porque, como já vimos, o composto é fonte de uma série de antioxidantes que previnem os danos celulares causados pelos radicais livres.

Pesquisadores já sabem que os antioxidantes encontrados nos vegetais têm a capacidade de inibir a multiplicação desordenada das células – ou seja, a causa do câncer. Em países onde o consumo de chá verde é elevado, como o Japão e a China, a incidência de câncer costuma ser bem menor.

De acordo com o University of Maryland Medical Center, estudos científicos indicam que os polifenóis do chá verde podem inclusive induzir a morte das células cancerígenas, inibindo assim o crescimento tumoral.

Confira estudos sobre o efeito do chá verde em diferentes tipos de câncer:

  • Câncer de mama: uma pesquisa com 472 mulheres portadoras de câncer de mama concluiu que aquelas que tomavam mais chá verde apresentavam um tumor menos desenvolvido. O mesmo estudo demonstrou que as participantes que consumiam pelo menos cinco xícaras de chá verde por dia antes do diagnóstico do câncer apresentavam um risco menor de recorrência da doença após o término do tratamento.
    Uma metanálise de 13 estudos publicada no periódico Carcinogenesis evidenciou que mulheres que tomavam mais chá verde tinham uma probabilidade 22% menor de desenvolver câncer de mama – o tipo de câncer mais comum na população feminina;
  • Câncer colorretal: um amplo estudo com 69.710 mulheres chinesas com idades entre 40-70 anos encontrou novamente uma relação inversa entre o consumo de chá verde e os cânceres de cólon e retal. Aquelas que tinham o hábito de beber o chá regularmente apresentavam um risco até 57% menor de desenvolver o câncer colorretal. Aqui novamente o efeito do chá verde se deve à EGCG, que em um nível celular, bloqueia sinais químicos que poderiam levar ao crescimento desordenado que é característico das células cancerígenas;
  • Câncer de Próstata: segundo tipo de câncer que mais mata homens no Brasil, o tumor maligno da próstata poderia ser prevenido através do consumo de chá verde – pelo menos é o que dizem as pesquisas. Uma delas, realizada no Japão através de um estudo populacional com 65.659 homens entre 40-59 anos (que responderam a um questionário sobre o consumo de chá verde e outros hábitos) constatou que aqueles que bebiam chá verde regularmente apresentavam um risco 48% menor de desenvolver câncer de próstata;
  • Câncer de Ovário: De acordo com uma metanálise publicada no American Journal of Obstetrics and Gynecology, mulheres chinesas com câncer de ovário que tomavam pelo menos uma xícara de chá verde ao dia tinham vida mais longa do que aquelas que não tomavam o chá. E quanto maior era o consumo da bebida, maior o tempo de vida;
  • Outros: há indícios de que o chá verde também tem efeito inibitório nos cânceres de pulmão, pescoço, estômago, pâncreas, pele, esôfago e bexiga.

8. Pode evitar doenças como o Parkinson e o Alzheimer


O chá verde serve não apenas para melhorar o funcionamento cerebral, mas também pode ser utilizado para prevenir complicações neurológicas associadas à idade.

Assim como ocorre com outras doenças crônicas, o estresse oxidativo causado pelos radicais livres é uma das causas de doenças degenerativas, como o Parkinson, AVC, ELA (esclerose lateral amiotrófica) e o Alzheimer.

Estudos clínicos e epidemiológicos indicam que as catequinas do chá verde apresentam um efeito neuroprotetor, atuando na prevenção do declínio cognitivo causado pelo envelhecimento natural das estruturas cerebrais.

Em 2015, pesquisadores da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, divulgaram um estudo com animais onde foi observado que a administração de epigalocatequina galato (EGCG) em combinação com atividade física foi responsável por uma melhora cognitiva de ratos com Alzheimer.

Este e outros resultados sobre os benefícios do chá verde na função cerebral podem ser explicados não apenas pelo combate aos radicais livres, mas também pelo efeito anti-inflamatório dos flavonóides.

Cientistas acreditam que a EGCG pode interromper uma série de rações tóxicas que, além de inflamações, envolvem o acúmulo de metais pesados e proteínas danosas como a beta-amiloide, que estão relacionados ao declínio da função neurológica.

Outros benefícios do chá verde para a saúde

Além dos benefícios do chá verde já citados acima, ele tem sido pesquisado por suas propriedades anti-inflamatórias, antissépticas e calmantes (graças à atuação da teanina). Estudos preliminares indicam também que o composto pode ser eficaz na prevenção da osteoporose e no tratamento das dores da artrite.



Dose


Embora muitas pesquisas sejam desenvolvidas com o seu extrato, os benefícios do chá verde já podem ser observados a partir do consumo de uma ou duas xícaras diárias da bebida.

Para não deixar que a cafeína atrapalhe o sono, evite tomar o chá verde a partir das 16 horas.

Efeitos Colaterais

O consumo de chá verde não parece trazer riscos à saúde. Há indícios de que a bebida poderia dificultar a absorção de ácido fólico (efeito observado em testes com animais), e deveria assim ser evitada por gestantes – principalmente no início da gravidez.

Uma possível reação adversa ao chá pode ser observada em algumas pessoas com intolerância à cafeína. A substância pode causar dores de cabeça, agitação, taquicardia, náuseas e insônia.


Crédito: Mundo da Boa Forma.


Nenhum comentário:

Postar um comentário